Tira esse nome daqui!

RUA_BIZA_JFDIORIO_600

Bizarra, na verdade, é um distrito da cidade de Bom Jardim, em Pernambuco. É conhecido pelo grupo de forró “Xinelo Rasgado”.

O Banco de Nomes, louco como ele só, sempre gerou constrangimentos pela cidade. Mas, felizmente (ou infelizmente, para este blog…), uma lei relativamente recente pode acabar com eles. É a 14.454, promulgada em 2007, que permite que os moradores se unam para mudar o nome da via caso este seja “suscetível de expor ao ridículo moradores ou domiciliados”.

Isso é uma cornucópia

Isso é uma cornucópia

Imagino que os moradores da rua Bizarra, no Tucuruvi, sonhem com a lei, mas quem a inaugurou foram os moradores da atual rua Mathilde Carlos Montesanti, em Pirituba. Até 2008, a via atendia pelo nome de Cornucópia, dado pelo Banco, claro. Apesar do nome sugerir outra coisa, mais chifruda, o nome nada mais é que uma imagem mitológica de fertilidade.

Dona Mathilde, aquela da Cornucópia

Dona Mathilde, aquela da Cornucópia, “integrou-se ao grupo de católicos que pretendiam construir uma capela na colina da Vila dr. Pereira Barreto. Faleceu no dia 10 de abril de 1983 aos 84 anos”

Nada mais justo, inclusive, que homenagear uma antiga moradora que de certo deve ter sido bastante zoada por morar na Cornucópia.

Cachoeira sem Pinguelo, sou eu assim sem você

Cachoeira sem Pinguelo, sou eu  assim sem você

Já na Cohab Raposo Tavares, é incrível como ainda há falta d’água por ali, já que a esmagadora maioria de suas vias têm nomes de cachoeiras. Tem a do Arrependido, Vida Nova… só não tem mais a do Pinguelo, referência a uma queda d’água em Goiás. É que desde que a via ganhou o nome, eram alvo de chacotas em função do nome ser jocoso, levando as pessoas a insinuar gestos e manifestações obscenasOs moradores tinham tanto ódio do tal Pinguelo que o apagaram do nome da rua – tanto que a igreja evangélica da rua refere-se apenas à rua “Cachoeira”. Desde 2011, a rua tem um nome simples e eficaz: Estrela. Apenas. Mas passei por lá recentemente (é, é perto de casa) e ainda não botaram a placa nova.

em inglês "Cushion Street"

em inglês, “Cushion Street”, Almofada é um distrito da cidade de Itarema, no Ceará. Coloquei a foto desta rua, que fica em Perus, só para descontrair. 

Até mesmo as homenagens podem ser mal-recebidas. Uma rua já urbanizada da ex-favela de Heliópolis ganhou o nome de Cine Favela, que alude a um antigo projeto social daquela comunidade. O prolema é que, segundo a justificativa dada pela comunidade, a rua já se chamava São Francisco, e a mudança de nome iria atrapalhar o recebimento de correspondência. Como a rua São Francisco também já existia no centro (ao lado da faculdade de Direito da USP), foi sugerido o nome Santa Ângela de Mérici, padroeira de um grupo religioso que atua na favela. Mas, cá entre nós, se não podia se chamar mais São Francisco, porque não deixaram o Cine Favela? Vergonha da palavra “favela”? Eu acho que sim…

"Pô, maior Zo Wada essa rua, cara"

“Pô, maior Zo Wada essa rua, cara”.

Já outros são obrigados a eternizar a Zo Weira, como os moradores da rua Zo Wada, na Capela do Socorro, já que é bem rara a troca de nomes que homenageiam pessoas – de modo a não causar mal-estar com a família Zo Wada. Afinal, segundo o Dicionário de Ruas, “Zo Wada, natural do Japão, filho de Matsuichi Wada e Tomo Wada. Foi casado com Sra. Meri Wada, com quem teve um filho: Luiz Alberto Wada. Comerciante, foi morador antigo do logradouro em questão. Faleceu no dia 05 de dezembro de 1981, com 59 anos de idade.”

É pouca Zo Weira?

É pouca Zo Weira?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s